O Ambiente de Negócio de Teresina pautou a reunião entre a Prefeitura e a Junta Comercial do Piauí (Jucepi), nesta quinta-feira (13). O tema já vem sendo discutido nas esferas pública e privada como fator determinante para o avanço do crescimento econômico dos municípios.

Representando a Prefeitura de Teresina, o secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo (Semdec), Aluísio Sampaio, sugeriu à presidente da Jucepi, Alzenir Porto, uma parceria que vise esclarecer as etapas a serem percorridas por aqueles pequenos e médios empreendedores na hora de optar pela formalização do seu negócio.

“Pretendemos estreitar cada vez mais os laços entre os órgãos do município e do Estado, a fim de facilitar por meio da informação os tramites para quem quer investir na nossa cidade. Hoje, uma de nossas prioridades é buscar esse diálogo com a Junta Comercial e as outras entidades envolvidas, como por exemplo, o Sebrae, para que haja mais celeridade no processo de simplificação da abertura de empresas, o que já vem acontecendo de forma bastante positiva”, disse o secretário Aluísio Sampaio.

A presidente da Jucepi manifestou apoio ao gestor municipal, colocando à disposição de Teresina as informações necessárias sobre o andamento dos processos que simplificam a abertura de uma empresa, e aceitando posteriores parcerias com palestras informativas. “A Junta Comercial está à disposição do município para levar estas informações mais próximo da população, principalmente, àqueles que querem abrir uma empresa. Palestras informando como funciona todo o processo é uma ideia que podemos adotar em parceria com a Prefeitura e outros setores que tratam do assunto”, esclareceu Alzenir.

Nesse aspecto, a cidade de Teresina vem ganhando conotação positiva, segundo mostrou o último Índice das Cidades Empreendedoras 2016 (ICE), elaborado pelo Instituto Endeavor. A capital piauiense está na 7º posição do tópico Ambiente Regulatório, tendo um avanço significativo de 25 pontos comparado ao ano de 2015. Na avaliação, três pontos foram sub determinantes: o tempo de processo, custos de impostos e complexidade tributária.

Ainda não há comentários.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com (*).