A Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo (Semdec) vai iniciar, nesta quarta-feira (20), uma pesquisa com visitantes e teresinenses que embarcam e desembarcam no Aeroporto Petrônio Portela. A pesquisa tem como objetivo medir o perfil do visitante e avaliar suas impressões sobre Teresina, além de identificar o comportamento do teresinense quando viaja.

Para qualificar a pesquisa, a Semdec realizou, na última segunda-feira (18), uma oficina de treinamento com alunos estagiários da Faculdade Maurício de Nassau, para envolvê-los no estudo. Serão utilizados, ao total, nove pesquisadores, nos três turnos, que aplicarão 800 questionários em ambas as pesquisas, com margem de erro de 5%. A pesquisa se estende até a próxima terça-feira (26) e contam com apoio da INFRAERO.

De acordo com o secretário da Semdec, Venâncio Cardoso, essas pesquisas são fundamentais para identificar o perfil de quem visita Teresina, além de analisar com mais qualidade o comportamento do teresinense quando viaja.

“O comparativo entre receita e despesa turísticas permite identificar se a atividade está gerando déficit ou superávit, em relação ao seu equilíbrio econômico. Pelo que temos observado, em relação às últimas pesquisas, os turistas que entraram pelo aeroporto, em 2017, geraram R$112 milhões de receita turística, enquanto as despesas chegaram a R$105 milhões. Isso demonstra que temos uma atividade turística superavitária, quando a receita é maior do que a despesa, por isso é tão importante mantermos esse tipo de estudo”, explicou o secretário.

Nos últimos três anos, a Semdec tem realizado pesquisas do chamado turismo emissivo e receptivo no aeroporto de Teresina. As informações permitem coletar dados sobre os principais mercados emissores de turistas para Teresina, as motivações de viagem, os gastos realizados, a permanência média, os tipos de hospedagem utilizados, as avaliações sobre infra-estrutura e serviços, além de outros indicadores igualmente importantes.

Além disso, são identificadas as impressões de viagens do teresinense. Para onde viaja, quanto gasta, tempo de permanência fora da cidade e as suas principais motivações. O cruzamento de dados gerados sobre gasto e permanência, associados à quantificação do fluxo, permite dimensionar receita e despesa turísticas, indicando a quantidade de recursos injetados na economia local, a partir da movimentação de visitantes, e a evasão de recursos medida pelos gastos do teresinense fora da cidade.

Ainda não há comentários.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com (*).