O Corso de Teresina já está consolidado no calendário dos principais eventos do Estado. Um levantamento feito pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico (Semdec) mostrou que a principal festa do momo na capital a cada ano tem atraído mais foliões. Em 2017, foi registrado um aumento de 10% no fluxo de pessoas em comparação à edição de 2016, ou seja, 330 mil pessoas participaram da festa. A receita turística gerada durante o período fechou em R$ 36,8 milhões.

Em 2017, Corso movimentou R$ 36,8 milhões em Teresina

Em 2017, Corso movimentou R$ 36,8 milhões em Teresina

Pelo menos 7,5% do fluxo foi representado pela presença de turistas de outros estados do Brasil, enquanto 8,2% vieram de outros municípios piauienses. Foi o que revelou a Pesquisa de Opinião realizada pela SEMDEC, durante o evento, que aconteceu dia 18 de fevereiro e contou com a aplicação de 306 questionários, com margem de erro de 5,7%. A pesquisa de campo foi aplicada por alunos do Curso de Turismo da Universidade Estadual (UESPI), treinados pela equipe de Turismo da SEMDEC.

Houve ainda um incremento de 200 metros de ocupação popular nos dois quilômetros de extensão do corredor da folia, em comparação à presença de foliões em 2016. Embora tenha sido registrada a redução no número de carros alegóricos, os frequentadores do Corso estão preferindo o asfalto para desfilar com suas fantasias.

Outro ponto que chamou a atenção, justificado por contar com alternativa mais econômicas, foram os meios de hospedagem. A preferência por hotéis ou pousadas foi de 8,3%, valor bem abaixo dos 89,6% entre os que optaram por ficar em casa de parentes ou amigos. A presença feminina dominou a avenida, aparecendo com 51,6%, mantendo-se pelo terceiro ano consecutivo superior à dos homens, que registraram 47,7% neste ano.

A pesquisa apontou, ainda, que a renda média mensal do folião entrevistado no Corso 2017 ficou em R$ 1.793,26, com base em 225 respostas. O gasto médio, realizado exclusivamente em função do evento, foi de R$ 111,66 por pessoa.

Ainda não há comentários.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com (*).