A Câmara Setorial de Turismo reuniu-se nesta terça-feira, 4, para discutir o projeto do Parque Floresta Fóssil, além da integração turística entre os 15 municípios da Grande Teresina. A reunião contou com o secretário municipal Fábio Nery e pelo Vice-Presidente da Câmara, Moacir Uchôa, além do coordenador Geral das Câmaras Setoriais piauienses, Sérgio Vilela, e de membros representantes de instituições públicas e segmentos privados.

A secretária executiva de Planejamento do Município, Constance Jacob, exibiu aos membros da Câmara as principais propostas para a área o Parque Floresta Fóssil. Segundo Constance, a Floresta é um sítio paleontológico localizado nas margens do Rio Poti, em área urbana, com troncos fósseis petrificados do Período Permiano, ainda em posição de vida. É o único sítio paleontológico dentro de uma capital brasileira. As datações chegam a aproximadamente 280 a 250 milhões anos e fazem parte de sedimentos que constituem a formação geológica denominada Pedra de Fogo.
O Parque possui destaque no PDITS Teresina – Plano de Desenvolvimento Integrado do Turismo Sustentável de Teresina, elaborado pela FGV – Fundação Getúlio Vargas, como um atributo do segmento do Ecoturismo e Turismo Científico, que faz parte da estratégia de diversificação da oferta turística do município. Foi criado em Janeiro de 1993 e está localizado na margem direita do Rio Poti, na Avenida Raul Lopes, nas imediações do Teresina Shopping e do Parque Estadual da Potycabana, fazendo parte do Sistema de Parques Ambientais do Município de Teresina.
Para o coordenador Sérgio Vilela, o projeto deve ser parte integrante dos pleitos da Câmara Setorial de Turismo, que poderá viabilizar a captação de recursos através de ingerências junto ao poder público, bem como a instituições internacionais que manifestem interesse no financiamento de projetos desse porte. “A incorporação desse empreendimento aos projetos da Câmara Setorial permitirá que um número maior de instituições públicas e privadas trabalhem no sentido de viabilizar os recursos necessários para a sua implantação”, disse Vilela.
A Câmara discutiu, ainda, a integração turística dos quinze municípios que compõem a Rede Integrada de Desenvolvimento da Grande Teresina (RIDE), através de projeto apresentado pela Coordenação Especial de Turismo da SEMDEC. A Câmara deverá sugerir e defender a implantação da sinalização turística das rodovias que interligam os municípios da RIDE.

Ainda não há comentários.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com (*).