O prefeito de Teresina, Firmino Filho, assinou no Palácio da Cidade, na manhã desta segunda-feira (17) um termo de permissão de uso de imóvel público em que permite a empresa Equatorial Piauí Distribuidora a realizar trabalho de melhoria energética no Polo Empresarial Sul.

O imóvel cedido tem como finalidade a construção de uma subestação de energia elétrica no local. O objetivo é a melhoria na distribuição de energia elétrica de todo o seu entorno, suprindo as necessidades reais de todas as empresas instaladas no Polo Empresarial Sul e as que podem vir a se instalar futuramente. De acordo com a redação do termo, a permissão é firmada pelo prazo de 20 anos, a partir de hoje.

“Estamos às vésperas de um novo ciclo de crescimento econômico e o polo será um local que teremos muitos investimentos. A solução do desafio com relação à energia elétrica vai ser fundamental para que possamos ter a implementação de novos projetos por lá, tais como moinho de trigo, ração, remédios. Há muita coisa engatilhada para novos investimentos”, explicou o prefeito Firmino Filho.

Para o gestor da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo (Semdec), Venâncio Cardoso, a assinatura do termo é um passo importante para melhorar todos os aspectos necessários para o bom funcionamento e crescimento do Polo Empresarial Sul.

“O poder público municipal já demonstrou que está completamente aberto para melhorar a situação dos polos empresariais de Teresina. Sabemos dos problemas e estamos articulando para que as melhorias cheguem de fato ao local. O Polo Sul carece de uma boa rede de energia elétrica, iluminação e asfalto e desde o ano passado, a Prefeitura, por meio da Semdec, tem dialogado para melhorar o local”, destacou o secretário.

A obra será concluída no primeiro semestre de 2020, de acordo com Raimundo Nonato, presidente da Equatorial Piauí. Ele destaca que as melhorias irão beneficiar não só Teresina.

“Essa não é uma obra que vai beneficiar só esta cidade, vai beneficiar o Estado. A Prefeitura está cedendo esse terreno para uso exclusivamente dessa subestação. São quase 11 milhões de investimento e a Equatorial vai quintuplicar a capacidade da subestação. Nós temos lá uma subestação de 5 KVA, não tem condição de receber novas indústrias, então nós vamos fazer uma de 25 KVA, cinco vezes maior. Além do que, nós vamos fazer um trecho de linha, em torno de nove quilômetros, uma de 69 mil volts, que vai permitir também flexibilidade, transferência de carga para determinadas subestações”, esclareceu.

Ainda não há comentários.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com (*).