Para dar resolutividade nas demandas de consumo e na promoção da educação do consumidor teresinense, nesta terça-feira (20), o Programa de Proteção e Defesa do Consumidor de Teresina (Procon) lançará material publicitário e apresentará projeto piloto nas escolas sobre direitos e educação ligados ao tema. Na ocasião também será lançado o “Guia Prático do Consumidor Informado”, que visa instruir os consumidores acerca das informações fundamentais de uma relação de consumo. A cerimônia está marcada para 8h, no auditório do órgão, que fica localizado na Av. João XXIII, próximo ao balão do São Cristóvão.

O “ABC do Consumidor Mirim”, como será chamado o material publicitário, é a primeira edição de uma cartilha criada pelo Procon Teresina, que tem o intuito de introduzir as crianças no mundo das relações de consumo. Noções básicas de direitos e deveres é um dos assuntos que serão abordados de forma lúdica e bastante didática no material.

Inicialmente, o projeto intitulado “O Procon Teresina nas Escolas Públicas e Privadas: educação para o consumo consciente”, vai trabalhar com 60 alunos da rede pública de ensino, que tenham entre 6 e 12 anos e estejam no ensino fundamental. As turmas escolhidas receberão aulas teóricas, onde serão discutidos os assuntos que a cartilha aborda. A coordenadora do Procon Teresina, Nara Cronemberguer, juntamente com uma equipe técnica do órgão, encabeçará as primeiras aulas. Após a finalização do período teórico, os alunos serão levados para as orientações práticas, que consistirão em visitas a diversos estabelecimentos, como supermercados e shoppings, a fim de que entendam, na prática, os conceitos abordados na teoria.

De acordo com o gestor da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo (Semdec), Venâncio Cardoso, órgão ao qual o Procon Teresina está vinculado, os lançamentos demonstram o trabalho importante que vem sendo desempenhando na capital.

“Apesar de ter sido inaugurado há poucos meses, o Procon Teresina vem se mostrando eficaz nas resoluções das demandas de consumo. Além disso, há a preocupação em ser um agente de promoção da educação nesse sentido. Dar esse primeiro passo junto ao público infantil, através da cartilha e do projeto, é uma tentativa de formar cidadãos que conhecem e lutam pelos seus direitos enquanto consumidores”, analisa o secretário.

“Nosso objetivo com o projeto é disseminar entre essas crianças de 6 a 12 anos a importância de conhecer seus direitos enquanto consumidores, porque entendemos que assim haverá uma atuação mais consciente e saudável no mercado de consumo futuramente”, completa Nara Cronemberguer.

Ainda não há comentários.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com (*).