Com uma taxa média de ocupação em torno de 60%, a hotelaria de Teresina se aproxima de 60 mil apartamentos disponíveis no mês, com previsão de crescimento de 27% para os próximos dois anos. Esses indicadores foram levantados pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo, utilizando pesquisas diretas nos meios de hospedagem. E os resultados foram cruzados com as Pesquisas de Demanda realizadas em 2013 e 2014.

Para chegar ao fluxo turístico, foram consideradas duas variáveis: a quantidade de hóspedes no período avaliado e o percentual representativo de turistas que se hospedam em hotel, extraído da Pesquisa de Demanda, que equivale a 39,2% do total de visitantes.

O cruzamento das variáveis levou à estimativa de 362.760 turistas em visita a Teresina no ano de 2014. Essa quantidade está coerente com as projeções da Fundação Getúlio Vargas, em quadro evolutivo contido no Plano de Desenvolvimento Integrado do Turismo Sustentável de Teresina (PDITS), que previu um fluxo de 365 mil turistas para a capital em 2014.

A receita turística, por sua vez, foi calculada com base no fluxo global de turistas no ano, na permanência média, que se situa em torno de 7,4 dias por pessoa, e no gasto médio per capita/dia, equivalente a R$ 83,30. Os resultados indicaram que os visitantes de Teresina em 2014 geraram uma receita igual a R$ 223.612.519,00.

A participação do Turismo no ISS Global da capital representa 7,9%, sendo puxados pelo setor de saúde, que contribui com 32,7% da receita gerada, de acordo com a estrutura de gastos do turista. A hospedagem contribui com 15,6% dos gastos, as compras com 14,2%, as diversões e passeios com 10,3%, a alimentação com 8,2% e os transportes locais com 5,1%. Os demais gastos representam 14,1% da receita gerada pelos turistas em Teresina.

Ainda não há comentários.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com (*).