Semdec promove famtour com profissionais do turismo nacional para apresentar Teresina

Dando continuidade às estratégias para inclusão de Teresina no mercado turístico nacional, Teresina será palco de um novo famtour (turismo de familiarização). Desta vez, cerca de 12 integrantes, entre agentes de viagens, jornalistas e operadores de Turismo, de mais de dez empresas nacionais participarão da atividade. Os profissionais conhecerão os principais atrativos turísticos do município e participarão do Corso 2020. O famtour foi viabilizado pelo Conselho Municipal de Turismo (COMTUR) e acontecerá entre os dias 14 e 16 de fevereiro.

Esta é a segunda viagem de familiarização promovida pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo (Semdec). A primeira ocorreu no ano de 2019, também no período do Corso de Teresina, e trouxe resultados positivos para o setor turístico da capital, incluindo Teresina em pacotes de viagens e a circulação de matérias em sites e revistas nacionais sobre as potencialidades do município.

Em 2020 as empresas participantes do Famtour são: Braztoa, Flytour e Avtur (São Paulo), Kontik e Coluna do Turismo (Bahia), Gaia Turismo (Rio Grande do Sul), Clair Turismo (Santa Catarina), Schultz (Paraná), Mercado do Turismo (Minas Gerais) e Meru Viagens (Brasília). O custeio das passagens aéreas para a vinda dos convidados foi feito através do Fundo Municipal de Turismo (FUMTUR).

Para o gestor da Semdec, Venâncio Cardoso, o objetivo da ação é apresentar e aproveitar as potencialidades turísticas de Teresina para comercializá-la. “Já vimos que os resultados obtidos com essa ação foram muito positivos, por isso continuamos com essa estratégia. Temos o maior Corso do mundo e esse produto precisa ser comercializado nacionalmente. Além disso, trazer jornalistas especializados e operadores de turismo ajuda no fortalecimento do turismo local, gerando demanda e, consequentemente, elevando a receita deixada pelos visitantes”, analisou.

De acordo com o coordenador Especial de Turismo da Semdec, Eneas Barros, o famtour é também uma grande oportunidade para os empreendimentos da área turística da cidade. “No dia 15 de fevereiro a Secretaria vai promover uma reunião técnica, onde os empreendimentos que operam com receptivo em Teresina terão a oportunidade de conversar com os Operadores de Turismo, agentes de viagens e jornalistas convidados, para que seus serviços sejam incluídos nos roteiros a serem elaborados”, explicou.

Além de participarem do Corso, o grupo de convidados fará passeios por toda a cidade, incluindo visitas ao Parque Encontro dos Rios, ao Polo Cerâmico e à Ponte Estaiada, além de experimentarem da gastronomia típica local. O tour encerrará com visita ao Parque Floresta Fóssil, cujas obras de instalação do museu e outras estruturas já foram autorizadas e iniciadas.

Números do Corso

No ano de 2019 o Corso de Teresina recebeu cerca de 280 mil foliões. Destes, 12% a 14% eram turistas de outros estados, representando um aumento de 64,3% em relação ao ano de 2018.  Além disso, 90,8% das pessoas que participaram do evento aprovaram a organização da festa e 92,2% aprovaram a segurança do local. A expectativa é que este ano o Corso gere um faturamento de R$ 26,5 milhões e atraia mais de 300 mil foliões.

Alunos de Turismo da Uespi farão pesquisa para a Semdec no Corso 2020

A Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo (Semdec) recebeu, na manhã desta quarta-feira (05), 14 estudantes universitários que foram selecionados para somar à equipe de pesquisa da Coordenação de Turismo. O objetivo é que realizem levantamento de dados sobre o Corso de Teresina, cuja aplicação dos questionários ocorrerá no sábado (15).

Os pesquisadores são alunos do curso de Turismo da Universidade Estadual do Piauí (Uespi) e estarão entrevistando pessoas a partir das 17h, ao longo de toda a avenida Raul Lopes. De acordo com o coordenador de Turismo da Semdec, Eneas Barros, eles irão se movimentar em duplas para entrevistar pessoas no corredor da folia ou mesmo espectadores que se posicionam nas calçadas, assistindo ao desfile, e pessoas dentro de camarotes.

“Serão aplicados 300 questionários, com margem de erro de 5,5%. A ideia é que cada pesquisador aplique cerca de 20 questionários até o final do evento”, explicou Eneas Barros. “Em contrapartida a SEMDEC oferecerá Certificado de Participação, com carga horária de 60 horas/aula, e uma bolsa-auxílio”, explica.

As questões terão como base a análise do perfil socioeconômico do entrevistado, como local de residência, faixa etária, sexo, atividade econômica principal e renda, além da identificação de suas avaliações sobre o Corso. Caso o entrevistado seja turista, o questionário aborda local de hospedagem, dias de permanência, gasto em função do evento e se veio à Teresina tendo o Corso como principal motivo da viagem.

“A Semdec aplica essa pesquisa há seis anos. Estudar o perfil das pessoas que estão no Corso de Teresina é cada vez mais importante para a Prefeitura, inclusive para balizar suas ações para o ano seguinte. Com esse estudo, podemos ver quem é o nosso turista, de onde ele vem, se vem em grupo ou sozinho, se é homem ou mulher, o quanto ele gasta, entre outras coisas. São números essenciais para que não só o poder público saiba se movimentar, mas também para que a iniciativa privada possa saber nortear seus investimentos”, afirma o secretário da Semdec, Venâncio Cardoso.

A Semdec dispõe de uma equipe de pesquisadores instalada em 2018, com quatro estudantes universitários, sendo três do curso de Turismo (Uespi) e um do curso de Economia (Ufpi). Os pesquisadores da Semdec atuarão como supervisores dos outros 14 estudantes, os quais juntamente com a equipe técnica da Secretaria farão tabulação online dos dados.

Pesquisa de 2019

De acordo com dados do levantamento realizado no ano anterior, e com base em cálculos, desde que recebeu o título, em 2012, de maior corso do mundo, pelo Guinness Book, o público no Corso de Teresina teve um crescimento de 475% nos últimos sete anos. Além disso, a pesquisa de 2019 identificou que o fluxo de turistas de outros estados brasileiros teve um crescimento de 64,3%, em relação a 2018, enquanto a permanência média do turista saltou de 5,1 dias por pessoa em 2018 para 7,1 dias em 2019.

Semdec espera que Corso 2020 seja vendido como produto turístico

Uma cidade boa para fazer compras, comer bem e se divertir no Corso 2020. É assim que os agentes de viagens, operadores de turismo e jornalistas especializados que participaram do Famtour (familiarization tour, em inglês), promovido pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo (Semdec), venderão Teresina a partir deste ano.

O Famtour possibilitou ao grupo conhecer vários restaurantes, visitar a Ponte Estaiada, Encontro dos Rios, Polo Cerâmico, Parque Floresta Fóssil, realizar um passeio de barco pelo Rio Poti e participar do Corso 2019. A programação foi toda pensada para mostrar o melhor de Teresina.

Formado por dois jornalistas, Ariel Figueroa (Coluna de Turismo-BA) e Felipe Lima (Editora Via-SP); três agentes de Turismo, Charles Nelson e Eliane Sena (Checkamos Turismo e Eventos-RJ), João Paulo da Silva (JP Turismo-PR) e Maria de Fátima Leite (Viajar Turismo-PA) e uma operadora de Turismo, Danielle Nunes (Mondial Turismo-ES), o grupo possui nomes reconhecidos nacionalmente.

A ideia do Famtour ocorreu depois de perceber interesse de empresas nacionais durante o Festival de Turismo de Gramado. O evento aconteceu em novembro do ano passado, no Sul do país, onde o secretário da Semdec, Venâncio Cardoso, apresentou as potencialidades turísticas de Teresina.

“A ideia é fazer com que essas pessoas, que mostraram interesse em conhecer Teresina, possam conhecê-la de fato e passar a vender nossa cidade como um destino turístico interessante. A equipe da Semdec se mobilizou para mostrar os números da cidade, mas também para mostrar nossas belezas, nossa culinária e, claro, o Corso 2019. Assim, nós queremos que eles promovam a vinda de grupos de turistas, em especial na época do Corso, hoje uma das principais manifestações populares da nossa cidade”, explicou o secretário Venâncio Cardoso.

De acordo com o coordenador Especial de Turismo da Semdec, Eneas Barros, vender o corso para o Brasil é algo importante para economia de Teresina, uma vez que a festa ajuda a movimentar números interessantes para a capital.

“Em 2018, por exemplo, o Corso movimentou recursos equivalentes a R$ 49,5 milhões, sendo que 14,7% desse total foram gerados pelos gastos dos turistas em função do Corso. Acreditamos que esse potencial deve ser cada vez mais explorado”, disse.