Em 2017, Corso movimentou R$ 36,8 milhões em Teresina

O Corso de Teresina já está consolidado no calendário dos principais eventos do Estado. Um levantamento feito pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico (Semdec) mostrou que a principal festa do momo na capital a cada ano tem atraído mais foliões. Em 2017, foi registrado um aumento de 10% no fluxo de pessoas em comparação à edição de 2016, ou seja, 330 mil pessoas participaram da festa. A receita turística gerada durante o período fechou em R$ 36,8 milhões.

Em 2017, Corso movimentou R$ 36,8 milhões em Teresina

Em 2017, Corso movimentou R$ 36,8 milhões em Teresina

Pelo menos 7,5% do fluxo foi representado pela presença de turistas de outros estados do Brasil, enquanto 8,2% vieram de outros municípios piauienses. Foi o que revelou a Pesquisa de Opinião realizada pela SEMDEC, durante o evento, que aconteceu dia 18 de fevereiro e contou com a aplicação de 306 questionários, com margem de erro de 5,7%. A pesquisa de campo foi aplicada por alunos do Curso de Turismo da Universidade Estadual (UESPI), treinados pela equipe de Turismo da SEMDEC.

Houve ainda um incremento de 200 metros de ocupação popular nos dois quilômetros de extensão do corredor da folia, em comparação à presença de foliões em 2016. Embora tenha sido registrada a redução no número de carros alegóricos, os frequentadores do Corso estão preferindo o asfalto para desfilar com suas fantasias.

Outro ponto que chamou a atenção, justificado por contar com alternativa mais econômicas, foram os meios de hospedagem. A preferência por hotéis ou pousadas foi de 8,3%, valor bem abaixo dos 89,6% entre os que optaram por ficar em casa de parentes ou amigos. A presença feminina dominou a avenida, aparecendo com 51,6%, mantendo-se pelo terceiro ano consecutivo superior à dos homens, que registraram 47,7% neste ano.

A pesquisa apontou, ainda, que a renda média mensal do folião entrevistado no Corso 2017 ficou em R$ 1.793,26, com base em 225 respostas. O gasto médio, realizado exclusivamente em função do evento, foi de R$ 111,66 por pessoa.

Corso deverá aumentar público em 16% e gerar receita de R$ 60 milhões

A partir de um amplo planejamento para priorizar o Corso e o carnaval de blocos, a Prefeitura de Teresina deverá levar para a avenida pelo menos 350 mil foliões no sábado que antecede o carnaval, dia 18 de fevereiro, quando a cidade assistirá ao desfile de carros personalizados, arrastados por uma multidão que embeleza o maior Corso do mundo.

Em 2015 estiveram na passarela do Corso 250 mil foliões, com base em informações fornecidas pela Polícia Militar, e em 2016 esse número alcançou 300 mil, apresentando um crescimento de 16,7%, percentual projetado para este ano. Essas estatísticas estão sendo monitoradas pela Coordenação Especial de Turismo da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo (SEMDEC), que aplicou nos dois últimos anos pesquisas de opinião junto aos visitantes e teresinenses que estiveram na avenida da folia.

Corso de Teresina.

Corso de Teresina.

Segundo a pesquisa, o ano de 2016 apresentou crescimento favorável à realização do corso, em relação a 2015. Os números mostram que a participação de teresinenses na avenida aumentou, de um ano para o outro, 14,2%, saltando de 212.500 pessoas para 242.700. Em relação especificamente aos turistas que estiveram no Corso ano passado, a pesquisa apontou um crescimento de 52,8% em relação a 2015, evoluindo de 37.500 visitantes para 57.300, sendo que, em 2015, 40% chegaram exclusivamente para o Corso e, em 2016, esse número cresceu para 74,1%, demonstrando que o evento tem um forte poder de captação de fluxo.

Os turistas que se hospedaram em casas de parentes e de amigos apresentaram um crescimento de 77% para 88,7%, em relação aos dois últimos anos, enquanto os que se hospedaram em hotéis reduziram 23% para 11,3%. Fator relevante foi verificado na permanência média do turista que esteve em Teresina no período do Corso, que evoluiu de 1,5 dia por pessoa para 5,6 dias por pessoa.

O gasto médio do folião em função do Corso de 2016, entre teresinenses e visitantes, ficou em R$ 166,59, o que gerou uma receita equivalente a R$ 50 milhões. Para este ano de 2017 a receita em função do corso deverá se aproximar de R$ 60 milhões, contribuindo para movimentação da economia e alavancar as empresas e prestadores de serviços que compõem a Cadeia Produtiva do Turismo.

A avaliação do corso foi bastante positiva para 83% dos que estiveram na avenida em 2015, saltando para 92% entre os que participaram da versão de 2016. Para o secretário Aluísio Sampaio, as expectativas são grandes para este ano. “A Semdec estará presente no Corso com a realização de nova pesquisa de opinião, para medirmos a evolução do fluxo, da receita e do perfil dos visitantes”, disse o secretário, acrescentando que todo o material promocional gerado pela Prefeitura de Teresina também será distribuído nos meios de hospedagem e por meio dos postos de informações que a SEMDEC mantém em cinco pontos da capital.