Conselho Municipal de Turismo discute projetos para Teresina

O Conselho Municipal de Turismo (COMTUR), presidido pelo Secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Fábio Nery, realizou a sua 15ª Assembleia Ordinária. A reunião contou com três convidados especiais, que trataram de temas ligados ao Parque Floresta Fóssil, à Rota das Emoções, ao Programa de Gerenciamento de Resíduos Sólidos do SENAC e ao projeto de aproveitamento da Avenida Antonino Freire.

 

A arquiteta Daniele Bezerra, representante da SEMPLAN, fez um resumo do projeto executivo de criação do Parque Floresta Fóssil, apresentando um custo final de R$ 14,2 milhões (valores de janeiro de 2015). A Carta Consulta, segundo ela informou, já foi encaminhada para financiamento junto à CAF – Confederação Andina de Fomento e está em análise pela Secretaria do Tesouro Nacional.

 

Segundo suas previsões, até Julho de 2017 as licitações deverão estar liberadas. Ela também falou sobre uma proposta de projeto de revitalização da Avenida Antonino Freire, para retomar as suas características antigas e recuperar as suas fachadas, que estão mascaradas por elementos inadequados.

 

A representante do SEBRAE, Alreni Lima Silva, falou sobre a possibilidade de inclusão de Teresina como um dos portões de entrada para a Rota das Emoções, dizendo que a sugestão precisa ser submetida ao Conselho da Rota, que é formado pelos três Estados que a compõem: Ceará, Piauí e Maranhão.

 

O COMTUR decidiu que será elaborado um documento de justificativa pela SEMDEC, que será assinado em conjunto com a Câmara Setorial de Turismo. A reunião foi encerrada com exposição do SENAC sobre o Programa de Boas Práticas em Gerenciamento de Resíduos Sólidos, que trará benefícios às empresas através de consultoria para a gestão de resíduos.

Prefeito Firmino Filho assina doação de terreno para o Porto Seco

 

O prefeito de Teresina Firmino Filho assinou hoje (24) o terno de doação do terreno localizado no Polo Empresarial Sul, entre os lotes 1 e 13, que será destinado a construção da sede da Companhia de Terminais Alfandegários do Piauí – Porto PI, que é gerida pelo Governo do Estado. A solenidade de assinatura ocorreu no Palácio de Karnak, ao meio dia desta terça-feira (24). Além do prefeito, assinaram o termo o governador Wellington Dias; o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico e Tecnológico, José Nery; o diretor presidente do Porto PI, Ted Barros; e o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Fábio Nery.

O terreno fazia parte do acervo do município de Teresina e possui uma extensão de 69.067,65 metros quadrados. Com a concessão, a Prefeitura cumpre a finalidade de atender a política de benefícios fiscais do município para as empresas do segmento atacadista e logístico.

“Nós já tivemos no passado uma abertura maior para as exportações. Agora estamos falando de uma obra de caráter simbólico, uma obra que vai abrir Teresina para o resto do mundo. A criação do Porto PI é de fundamental importância porque busca reduzir custos no comércio externo do nosso estado, facilitar as transações de Teresina e do Piauí com o restante do mundo. Busca nos integrar ao resto do mundo. Uma grande alegria podermos estar aqui fazendo a doação dessa área do Polo Empresarial Sul”, disse o prefeito Firmino Filho.

No Porto estarão instaladas as empresas interessadas em exportar seus produtos. Entre os benefícios com a criação desse empreendimento estão principalmente a geração de superávit para investimentos no Estado. “As vantagens são muitas se compararmos o movimento comercial via portos de exportação e importação em outros lugares. As arrecadações poderão ser usadas em programas sociais ou projetos estruturantes e contribuir com a melhoria da qualidade de vida da população”, afirmou Fábio Nery.

Para a Associação Industrial do Piauí, a criação do Porto Seco é um sonho antigo do empresariado local e traduz um momento de real possibilidade de desenvolvimento para a capital. “Estamos a caminho de realizar uma antiga reivindicação das classes que produzem no Piauí. Quem não lembra da luta de Antonio Machado e Manoel Arrey, tentando que Teresina tivesse esse porto para alavancar suas exportações e importações”, comentou o presidente da AIP, Joaquim Costa Filho.