Procon THE e MPPI/Procon Estadual realizam fiscalização em agências bancárias e lotéricas

O Procon Teresina iniciou, na manhã desta sexta-feira (8), a fiscalização de agências bancárias e lotéricas em várias zonas da capital. A ação em conjunto com o MPPI/Procon Estadual vai avaliar diversos fatores, entre eles: atendimento ao público, distanciamento mínimo, fluxo de pessoas, uso de máscaras e álcool em gel e avisos de orientação.

A fiscalização, que acontece durante todo o dia de hoje e finaliza na segunda-feira (11), é fruto de uma notificação recomendatória conjunta do Procon Estadual e a 31ª e 32ª Promotorias de Justiça de Defesa do Consumidor. A notificação tem a finalidade de garantir e adotar medidas preventivas à propagação da COVID-19. De acordo com a Coordenadora Geral do Procon Teresina, Nara Cronemberger, a ação de fiscalização quer identificar, se agências bancárias, lotéricas entre outros, estão obedecendo regras já preestabelecidas para a segurança do usuário do serviço.

“Nós temos observado em várias reportagens na televisão, que a procura, principalmente por agências da Caixa, tem levado um bom número de pessoas a se aglomerarem. Tendo em vista que estamos vivendo uma pandemia, o compromisso dessa fiscalização é identificar irregularidades e autuar, caso seja necessário. Nesse primeiro dia, nós pudemos constatar algumas pequenas irregularidades, inclusive aplicamos uma advertência em uma agência bancária. Em outra situação, a aglomeração de pessoas foi a principal questão verificada na visita, mas percebemos que a gerência do local estava com o auxílio da Guarda Municipal para organizar o ambiente”, explica.

O Chefe de Fiscalização do Procon Estadual, José Arimateia Area Leão, destaca que os bancos terão 48h para se adequarem às recomendações de higiene e controle de pessoas em seus estabelecimentos. “Nesta ação vamos procurar verificar principalmente a questão do distanciamento, se os bancos estão cumprindo a questão da higienização, disponibilizando álcool gel para cliente, atendendo adequadamente quem é prioridade e especiais. Tudo isso em três zonas da capital: zona leste, sul e centro. Queremos constatar se há irregularidades. Se constatado, faz-se uma advertência e damos um prazo de 48h para os bancos cumprirem a obrigação”.

Os agentes dos Procons Teresina e Estadual visitaram as Agências do Banco do Brasil do bairro Marquês e zona Leste; da Caixa Econômica Federal da Avenida Areolino de Abreu, Centro e zona Leste; dos Banco Itaú e Bradesco, ambas localizadas na Av. João XXIII.

Estudo registra queda no fluxo de passageiros no aeroporto de Teresina por causa de pandemia

Um estudo realizado pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo (Semdec), com base em dados da Infraero, registrou uma queda de 95,9%, no fluxo de passageiros embarcados pelo aeroporto, nos últimos quatro meses. Em janeiro deste ano, embarcaram 62.371 passageiros, contra 2.582 que embarcaram no último mês de abril. A queda está relacionada ao incentivo ao isolamento social, por conta do contágio pelo Coronavírus (Covid-19).

De acordo com os dados, o fluxo acumulado de passageiros e turistas, que utilizaram o aeroporto de Teresina como portão de entrada, sofreu queda de 41,4% nos quatro primeiros meses de 2020, em comparação com igual período de 2019. Em relação especificamente ao número de turistas, nos quatro primeiros meses de 2019, eram 133.964, contra 78.503 em igual período de 2020.

Para o secretário da Semdec, Raul Ferraz, esse número pode ser inicialmente impactante, mas é apenas um reflexo do novo comportamento social provocado pela pandemia do novo Coronavírus (Covid-19), em todo o mundo. “Nós estamos vivendo um momento de pandemia e a Prefeitura de Teresina tem feito um papel muito importante de controle da situação para salvar vidas. Não houve fechamento total de entrada e saída de pessoas do município, acredito que a movimentação caiu naturalmente, tanto pela situação sanitária mundial, quanto pela consciência das pessoas de ficar em casa. O setor do Turismo, é claro, perde muito, mas é um reflexo não só para Teresina, mas para todo o planeta”, diz.

 

Turismo

Entre janeiro e abril de 2019, a Receita Turística acumulada foi equivalente a R$ 159,6 milhões, valor que caiu para R$ 93,5 milhões em igual período em 2020. Em janeiro deste ano, a Receita Turística foi de R$ 45,5 milhões, caindo para R$ 1,8 milhão em abril, uma queda de 96,0%.

Segundo o com o Coordenador Especial de Turismo da Semdec, Eneas Barros, os dados mostram que o coronavírus trouxe um grande impacto no turismo registrando queda brusca no setor. “A Coordenação de Turismo está atenta aos impactos que o Coronavírus tem exercido sobre a atividade turística, notadamente sobre o fluxo de passageiros no Aeroporto de Teresina, que sofreu uma queda brusca, nos primeiros quatro meses do ano de 2020. É natural que esse comportamento tivesse influência direta na atividade turística, o que levou o fluxo a esse comportamento negativo”, disse o Coordenador.

“É provável que em maio esse número se reduza mais ainda, em função da suspensão de voos que para cá se destinam”, completou.

Pesquisa aponta perfil de usuário do transporte público na pandemia

Uma pesquisa realizada pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo (Semdec), entre os dias 13 e 14 de abril, revela que 55,7% de pessoas que precisam sair de casa para trabalhar, mesmo com o isolamento social, são mulheres. A maior parte delas atua em setores considerados essenciais.

Para realizar o levantamento, foram aplicados 125 questionários nos oito Terminais de Integração espalhados pela cidade (Bela Vista, Buenos Aires, Itararé, Livramento, Parque Piauí, Rui Barbosa, Santa Lia e Zoobotânico), no período de 6h às 8h da manhã, os quais tinham como objetivo observar o comportamento de pessoas que continuam precisando se locomover diariamente pela cidade.

Segundo os dados levantados, 88% dos entrevistados precisam sair de casa, pelo menos uma vez na semana, para cumprir jornada de trabalho, 60,8% dos quais são do setor privado. Desse total, 45,5% dos pesquisados revelaram que precisam sair para trabalhar diariamente, e apenas 17,6% são do setor público.

Outro dado que chamou bastante atenção é que 30,4% dos entrevistados eram pessoas entre 36 e 50 anos, grupo bastante atingido pelos efeitos provocados pelo vírus. A pesquisa apontou também que alguns destes trabalhadores não atuam em áreas consideradas essenciais, o que pode contribuir com a facilitação do contágio na capital.

De acordo com o secretário da Semdec, Raul Ferraz, a pesquisa vai ajudar o poder público municipal a entender por que ainda há uma parcela considerável de pessoas que precisam sair de casa. “O levantamento nos fez perceber que muita gente, em especial as mulheres, precisa sair de casa para trabalhar. O que preocupa é que uma parcela dos entrevistados não precisaria estar nas ruas, enquanto outros são completamente necessários por atuarem em setores considerados essenciais”, explica.

Para o coordenador da pesquisa, Eneas Barros, que é coordenador de Turismo da Semdec, os dados servirão para que a Prefeitura de Teresina possa adotar medidas espelhadas no comportamento das pessoas. “As pesquisas retratam momentos e situações específicas, servindo como balizamento para a tomada de decisões. Ao ouvir a opinião do passageiro de transporte coletivo, a Prefeitura de Teresina pode adotar medidas espelhadas na mobilidade urbana dessas pessoas, levando a atos fundamentados pelos números, que com certeza trarão maiores benefícios sociais na luta contra o avanço do coronavírus em nossa cidade”, esclarece.