Receita turística de Teresina teve crescimento de 130,7% no último ano

Teresina gerou R$ 471,5 milhões em receita turística, entre 2018 e 2019. Isso representa um crescimento de 130,7%. Os dados são da Coordenação Especial de Turismo da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo (Semdec).

A pesquisa ainda revela que a capital registrou crescimento no número de turistas que visitam a cidade. De janeiro a maio de 2019 foram registrados 114,6 mil turistas, contra 82,5 mil registrados no mesmo período em 2018. Isso representa um crescimento de 38,9%.

O estudo foi realizado por meio de uma projeção baseada no método estatístico chamado “Regressão Linear”, no qual a Semdec utilizou os dados de 2018, mês a mês, e correlacionou com os primeiros dados de 2019, de janeiro a junho. A projeção apontou assim uma recuperação do fluxo e um aumento na receita.

De acordo com o Coordenador de Turismo da Semdec e coordenador da pesquisa, Eneas Barros, aumentaram também as despesas dos teresinenses fora da cidade. Ele explica que, embora não seja bom para o turismo de Teresina, o cenário ainda é positivo, pois essa despesa do teresinense em outras cidades ainda é menor que a receita que entra na capital.

“O turismo de Teresina ainda é superavitário, ou seja, o que o turista deixa aqui é superior ao que o teresinense gasta lá fora. Isso foi constatado nos últimos dois anos, tanto em 2018, quanto em 2019. Além disso, o fato de o teresinense gastar mais lá fora não significa necessariamente algo negativo, uma vez que isso representa que o poder de compra desse público aumentou, o que é muito positivo”, esclareceu.

Para o secretário da Semdec, Venâncio Cardoso, os dados obtidos a partir do estudo revelam que o esforço da Prefeitura de Teresina, por meio da secretaria, tem dado resultados positivos para o setor de turismo na cidade.

“Isso se deu porque Teresina começou a recuperar seu poder de atração de fluxo, por conta das ações que a secretaria fez fora da cidade. Nós participamos de vários eventos, representando o município de Teresina, em alguns congressos e feiras. Fizemos um famtour, trazendo jornalistas e operadores de turismo de fora do estado. Uma coisa puxa a outra, pois o jornalista divulga e o operador vai oferecendo opções com destino em Teresina. Além disso, a capital é um ambiente que acolhe eventos e muitos desses turistas estão vindo por causa desses eventos”, destacou.

Corso deverá aumentar público em 16% e gerar receita de R$ 60 milhões

A partir de um amplo planejamento para priorizar o Corso e o carnaval de blocos, a Prefeitura de Teresina deverá levar para a avenida pelo menos 350 mil foliões no sábado que antecede o carnaval, dia 18 de fevereiro, quando a cidade assistirá ao desfile de carros personalizados, arrastados por uma multidão que embeleza o maior Corso do mundo.

Em 2015 estiveram na passarela do Corso 250 mil foliões, com base em informações fornecidas pela Polícia Militar, e em 2016 esse número alcançou 300 mil, apresentando um crescimento de 16,7%, percentual projetado para este ano. Essas estatísticas estão sendo monitoradas pela Coordenação Especial de Turismo da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo (SEMDEC), que aplicou nos dois últimos anos pesquisas de opinião junto aos visitantes e teresinenses que estiveram na avenida da folia.

Corso de Teresina.

Corso de Teresina.

Segundo a pesquisa, o ano de 2016 apresentou crescimento favorável à realização do corso, em relação a 2015. Os números mostram que a participação de teresinenses na avenida aumentou, de um ano para o outro, 14,2%, saltando de 212.500 pessoas para 242.700. Em relação especificamente aos turistas que estiveram no Corso ano passado, a pesquisa apontou um crescimento de 52,8% em relação a 2015, evoluindo de 37.500 visitantes para 57.300, sendo que, em 2015, 40% chegaram exclusivamente para o Corso e, em 2016, esse número cresceu para 74,1%, demonstrando que o evento tem um forte poder de captação de fluxo.

Os turistas que se hospedaram em casas de parentes e de amigos apresentaram um crescimento de 77% para 88,7%, em relação aos dois últimos anos, enquanto os que se hospedaram em hotéis reduziram 23% para 11,3%. Fator relevante foi verificado na permanência média do turista que esteve em Teresina no período do Corso, que evoluiu de 1,5 dia por pessoa para 5,6 dias por pessoa.

O gasto médio do folião em função do Corso de 2016, entre teresinenses e visitantes, ficou em R$ 166,59, o que gerou uma receita equivalente a R$ 50 milhões. Para este ano de 2017 a receita em função do corso deverá se aproximar de R$ 60 milhões, contribuindo para movimentação da economia e alavancar as empresas e prestadores de serviços que compõem a Cadeia Produtiva do Turismo.

A avaliação do corso foi bastante positiva para 83% dos que estiveram na avenida em 2015, saltando para 92% entre os que participaram da versão de 2016. Para o secretário Aluísio Sampaio, as expectativas são grandes para este ano. “A Semdec estará presente no Corso com a realização de nova pesquisa de opinião, para medirmos a evolução do fluxo, da receita e do perfil dos visitantes”, disse o secretário, acrescentando que todo o material promocional gerado pela Prefeitura de Teresina também será distribuído nos meios de hospedagem e por meio dos postos de informações que a SEMDEC mantém em cinco pontos da capital.

Receita turística de Teresina supera R$ 250 milhões em 2016

O aumento da permanência média de turistas em Teresina saltou de 5,6 dias registrados no ano passado para 7,8 este ano. Esse aumento impactou diretamente na receita turística da capital e a expectativa é que este ano os visitantes deixem na cidade cerca de R$ 251,7 milhões. O crescimento foi de 5,1% em relação ao ano passado, segundo revela pesquisa realizada pela Prefeitura de Teresina, através da Semdec ( Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo).
De acordo com o levantamento, a cidade vai fechar o ano com um fluxo de 376.777 visitantes.  “Nos anos anteriores, identificamos nossos potenciais na área de saúde, negócios e lazer e trabalhamos para o crescimento deles. Temos atuado para fomentar nossas potencialidades, principalmente nos grandes eventos de turismo realizados pelo Brasil”, ressalta o secretário Fábio Nery.
Ele explica que, como Teresina tem ampliado seu leque de atrativos, os turistas estão optado por ficar mais tempo na cidade. A capital conta atualmente com 40 meios de hospedagem, que oferecem 2.12 4 unidades habitacionais com 3.940 leitos diários. A taxa de ocupação hoteleira gira em torno de 60,1%.
Nesse levantamento, foram considerados os estabelecimentos cadastrados no último Inventário Turístico, realizado em 2013, acrescidos dos que foram inaugurados até o mês de setembro de 2016. Não fazem parte dessa oferta as pensões e os estabelecimentos de alta rotatividade.