SMPM e SEMDEC lançam inscrições para 3° Edição do Selo Dona Saló

A Secretaria Municipal de Políticas Públicas para as Mulheres (SMPM) e a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo (Semdec) lançam nesta terça-feira (15) o regulamento para as inscrições da 3° Edição do Selo Dona Saló.

O reconhecimento certifica empresas privadas de pequeno, médio e grande porte localizadas em Teresina, que estabeleçam e atuem com programas e ações em pro da equidade de gênero. As empresas inscritas devem alcançar os seguintes critérios: empregabilidade e liderança de mulheres, igualdade salarial, saúde e qualidade de vida, incentivo à educação e prevenção à violência.

“O Selo Dona Saló é um reconhecimento para impulsionar as empresas a se preocuparem com a equidade de gênero, para garantir que haja um mercado de trabalho na nossa capital que abrace as necessidades e os direitos femininos. É um assunto de muito interesse da Prefeitura Municipal e que mostra a mobilização de mais empresas para participar do prêmio, logo, garantindo mais programas para mulheres”, declarou a secretária da SMPM, Karla Berger.

Para Flaviany Paiva, gerente do setor de Recursos Humanos da empresa CrediShop, uma das empresas ganhadoras do prêmio, a premiação condecora e valoriza empresas que se preocupam com a igualdade de gênero.

“O Selo Dona Saló é um reconhecimento das práticas de equidade de gênero que nos fortalece a continuar nesse propósito, de nos mantermos firmes com ações para mulheres, ser um exemplo em Teresina e incentivar que outras empresa participem do prêmio e estimule mais ainda essas ações na capital”

As inscrições das empresas iniciam a partir das 8h no dia 15 de junho de 2021 e encerram às 23h59 do dia 15 de julho de 2021.

O preenchimento dos formulários disponibilizados nos endereços  http://smpm.teresina.pi.gov.br/https://semdec.teresina.pi.gov.br/ e https://www.ufpi.br/.

Como requisito para as inscrições, as  instituições privadas devem possuir CNPJ ativo, com o mínimo de 10 colaboradores e estejam em dia com as obrigações trabalhistas, não tenha sofrido denúncia de trabalho escravo e infantil, abuso e discriminação de gênero.