A capital do Piauí, Teresina, foi uma das 13 cidades brasileiras que foram premiadas com o Índice Nacional da Competitividade do Turismo Nacional, edição 2014. Teresina foi a única cidade, entre os 65 destinos brasileiros, avaliados nacionalmente, que recebeu dois prêmios na edição deste ano.

Teresina recebeu troféu pela menção honrosa de ter sido a capital brasileira que mais evoluiu em competitividade para o Turismo.  O prêmio é concedido anualmente pelo consórcio envolvendo a Fundação Getúlio Vargas – FGV, o Sebrae Nacional e o Ministério do Turismo.

O secretário de Turismo, Fábio Nery, recebeu os prêmios das mãos do ministro do Turismo, Vinicius Lage, e do presidente do Sebrae. Luiz Barreto, na manhã de hoje, 16, no auditório da Universidade do Sebrae, na Capital Federal.

Fruto do trabalho

Fábio Nery, que representou o prefeito de Teresina, Firmino Filho, não escondeu a surpresa ao ser chamado duas vezes para receber prêmios que são referência do turismo brasileiro, ficando à frente de capitais bem maiores e com maior IDH. “ Fruto da um trabalho em cima de uma técnica desenvolvida ao longo desse nosso trabalho”, disse, inicialmente, Nery, para em seguida salientar uma ação em equipe. “Por conta de uma equipe muito qualificada”, disse, orgulhoso o gestor.

A cidade de Teresina foi premiada hoje por ser uma referência nos “aspectos culturais”  do Prêmio Índice Nacional de Competitividade do Turismo Nacional.  O Prêmio avalia 13 dimensões.  Teresina foi premiada por uma das “dimensões de avaliação”.  Outras 12 cidades também foram premiadas, entre elas as nordestinas Salvador(BA), Porto Seguro(BA), Fernando de Norinha(PE), Natal(RN).

Foram premiadas, também, Ouro Preto(MG), Cuiabá(MT), Vitória(ES), Pirinópolis(GO), e Ilha Bela(SP).   A cidade de São Paulo(SP), foi agraciada nesta sétima edição do Prêmio, com o nível 5, o grau máximo na avaliação do Índice Nacional de Competitividade do Turismo Nacional.

Autoridades nacionais

O presidente do Sebrae, Luiz Barreto, disse que a premiação é uma politica pública que vai além de uma questão de governo. “ Isto é muito importante para nós, pois é uma política de Estado”, disse Barreto.

O ministro Vinicius Lage, do Turismo,  afirmou que o prêmio “dá uma dimensão da sustentabilidade do desenvolvimento”. No entendimento do titular do Turismo, o “prêmio permite se fazer uma melhor reflexão sobre os municípios brasileiros e é fundamental para um turismo brasileiro mais competitivo”, disse.

Aspectos de avaliação

O coordenador de Turismo da Fundação Getúlio Vargas – FGV, Luiz Gustavo Barbosa, informou, logo no início do evento do grande esforço que foi empreendido pela Fundação que é a gestora do prêmio e que envolve uma ação que dura todo um ano de trabalho, com várias equipes de pesquiadores que andam pelo país avaliando os 65 destinos, passando, em média, uma semana em cada local fazendo 500 perguntas sobre cada uma das cenas de cada destino.

O prêmio é focado em “avaliar 13 dimensões”, sendo elas: infraestrutura, acesso, serviços e equipamentos turísticos, atrativos turísticos, marketing promocional dos destinos turísticos, políticas públicas, cooperaçào regional, monitoramento, economia local, capacidade empresarial , aspectos culturais, aspectos ambientais, aspectos sociais.

Dez cidades mais competitivas

Luiz Gustavo Barbosa, da FGV, informou quais são os 10 destinos turísticos mais competitivos do Brasil, com suas respectivas notas(pontos):  São Paulo(82,5), Porto Alegre(80), Belo Horizonte(78,5), Rio de Janeiro( 78,5), Curitiba( 77,9), Foz do Iguçu( 76,9), Recife(76), Brasilia(75,2), Salvador(75) e Florianópolis(74,2).

Ainda não há comentários.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com (*).